Adolescência: seguindo modelos

NA FASE da adolescência, o ser humano tem uma grande necessidade de seguir modelos, exemplos de vida que poderão servir de inspiração para firmar sua identidade, tendo um peso fundamental na determinação de um futuro bem sucedido ou não.

O significado específico neste período da vida está baseado nas experiências com pessoas significativas próximas. Esses modelos de pessoas podem surgir a partir do fortalecimento de vínculos com familiares, amigos, professores, conhecidos ou até mesmo de forma fictícia e animada como, por exemplo, com personagens de filmes e jogos.

Na ausência de exemplos positivos de pessoas próximas ao adolescente ou consideradas “desinteressantes, chatas, irrelevantes” para suas vidas, os jovens têm recorrido a inspirações no mundo fictício dos jogos virtuais, filmes e demais personagens inanimados. Elas são muito mais atraentes e oferecem subsídios para viver num mundo irreal, avaliada como a melhor e mais estimulante porção que a vida real lhes oferece.

Modelos reais são necessários para solucionar atuais crises em um mundo tomado por conflitos, terror, guerra, destruição, injustiças sociais, problemas econômicos, pandemias, carências emocionais, indecisões profissionais e muito mais. Isso estimula virtudes como enfrentar desafios, vencer os medos, proteger os mais fracos, defender ideais, combater as injustiças, manter a estabilidade emocional, conquistar sonhos e o que mais for necessário. Mais do que ídolos, são modelos a serem respeitados e imitados, no entanto, não são desprovidos de medo, derrotas e problemas e, justamente por isso, são fonte de coragem e servem de inspiração.

Estes são investimentos ligados à superação de adversidades, à construção de identidade pessoal, aos elementos de ética, moral, justiça, ao enfrentamento de medos, de situações de violência, entre outros que servirão de subsídio para a formação da identidade do adolescente.

Por isso a importância de exemplos e referências positivas no desenvolvimento de valores morais, tais como: coragem, honestidade, justiça, respeito, solidariedade, entre outros atributos que promovem capacitação, qualidade de vida, bem- -estar coletivo e resiliência pessoal ou da comunidade. Isso auxilia adolescentes a enfrentarem o sofrimento das incompreensíveis adversidades sociais e emocionais que vivenciam e observam, ajudando no amadurecimento e nas mudanças que enfrentam.

Projetar estes modelos de superação e possibilitar que os adolescentes em momentos vulneráveis de suas vidas se inspirem para superar sofrimentos pode ser um motor propulsor para fazer uma “virada” de grande significado para o resto de suas vidas, dando-lhes uma perspectiva de sonhos que podem se tornar realidade em um futuro muito próximo.

Regina Rempel – Assistente social e fundadora do Instituto Construindo um Lugar Seguro. E-mail: contato@lugarseguro.org

Publicado na Revista Escola de Pais do Brasil – Seccional Curitiba, Agosto de 2022, p.14.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*