Relacionamentos: Aprendizagens e Trocas Afetivas

Introdução

Como abordar este assunto de vital importância, amplo, complexo e ir ao encontro das expectativas de quem está lendo? É um desafio.

Sem a pretensão de esgotar o assunto e ser dona da verdade, farei uma abordagem prática e positiva. Afinal, estamos vivendo um momento único, de distanciamento social e com muitos desafios em todas as formas de relacionamentos. Relacionamentos estes colocados à prova pela longa e às vezes estressante convivência diária.

Conceituando…

Sempre gostei de iniciar uma fala ou artigo conceituando. E conceituando o tema desta abordagem: ligações afetivas entre pessoas que se unem com os mesmos objetivos e interesses, que poderão adquirir aprendizagens/conhecimentos um com o outro e, com sentimento de afeição criar laços de convivência – entre eles amor e amizade.

Considerações sobre relacionamento e aprendizagem

É de conhecimento de todos nós, as transformações ocorridas nas últimas décadas em todos os sentidos. Os relacionamentos também passaram por modificações e/ou adaptações ao longo do tempo, em especial, a partir da década de 70 com a emancipação da mulher nas áreas social, econômica, emocional e sexual. A sexual já iniciada na década de 60 com a descoberta da pílula anticoncepcional. Estas mudanças ocorridas foram consideradas positivas por alguns e negativas por outros.

A partir da emancipação da mulher, o que se espera de um relacionamento hoje é bem diferente e não há receitas prontas nem fórmulas mágicas. É necessário vencer os desafios, passar por todo um processo de aprendizado – erros e acertos, para construir um bom relacionamento. Mas, estão à nossa disposição redes de apoio, tais como: movimentos que abordam o assunto, palestras, livros, profissionais especializados, amigos, lives….

Podemos fazer uma analogia com um bolo. O bolo pode não ficar tão bom da primeira vez, mas com os ajustes ao longo do tempo, o bolo vai ficando mais saboroso. É natural os ajustes em um relacionamento, pois as necessidades emocionais, os gostos, valores… também vão mudando com os acontecimentos/experiência do dia a dia. O aprendizado acontece até mesmo nas coisas simples, como na montagem ou adaptação de um bolo.

Ter clareza e consciência de quais ingredientes se está buscando, contribui para um melhor resultado. Alguns ingredientes são básicos e indispensáveis, mas cada pessoa pode dar seu toque especial.

Cada um dentro de um relacionamento tem as suas obrigações, seus direitos, seu papel e responsabilidade para dar certo. A vida não será mais a mesma depois de se envolver em um relacionamento.

Todo e qualquer tipo de relacionamento para ser saudável envolve mão dupla – equilíbrio entre o que se dá e o que se recebe. Ter atitudes de reciprocidade regadas com amor contribui para o equilíbrio necessário.

Alguns cuidados são necessários para o relacionamento não estar fadado ao insucesso. Um deles é não depositar teimosamente no outro todas as expectativas de felicidade e completude. Exemplos: achar que encontrou sua metade da laranja, tampa de sua panela, a alma gêmea…  É preciso entrar em um relacionamento com identidade própria e ser responsável pelas próprias realizações e felicidade. Colocar em uma moldura o seu amado idealizado/romantizado, consequentemente trará frustações, pois com certeza não se manterá na moldura.

É necessário também para uma boa convivência, considerar que cada um veio de família diferente e tem a sua história a ser compartilhada, compreendida e muitas vezes superada. O jeito de ser já existia antes. Cabe aos dois, de comum acordo, aproveitar as boas experiências e construir juntos nova história, dos dois e posteriormente com sua família aumentada. Um bolo personalizado, conforme a preferência e necessidade do casal.

Relacionamento perfeito não existe. Somos seres imperfeitos, deixamos de acertar muitas vezes, mesmo tendo muito amor. Porque apenas o amor não é o suficiente para um relacionamento dar certo, pode acontecer um desentendimento pela falta de diálogo, pode-se deixar de acertar por não saber das reais necessidades do outro. Sem conhecer as necessidades reais, as expectativas não são atendidas e os conflitos na certa chegarão. Por isso, sempre com amor e cuidado é preciso deixar claro o que se quer. Outro fato é que as necessidades podem ser diferentes e a tendência é fazer para o outro o que gosta, mas pode não ser o que o outro quer e precisa.

Leitura, uma boa opção para aprendizagem

Há 24 anos uma amiga muito querida presenteou Zé – meu marido, com um livro chamado Homens são de Marte e Mulheres são de Vênus do John Grey. Aconselhou-me sabiamente a ler também. Na época o livro foi um divisor de águas, adquiri todos os demais do mesmo autor e a partir de então sou uma curiosa, uma apreciadora de livros que abordam relacionamentos em todos os sentidos.

Içami Tiba se baseou neste livro para escrever Homem-Cobra, Mulher-Polvo.

John Grey abordou sobre as necessidades emocionais primárias masculinas e femininas. Segundo ele, as masculinas são: ser amado, aceito, apreciado e gozar de confiança e as femininas são: ser amada, cuidada, compreendida e respeitada.

O amor é uma necessidade emocional primária tanto para o homem como para a mulher. O amor é uma necessidade básica do ser humano, juntamente com a segurança e autoestima. Sentir-se amado leva a sentir segurança, a ter uma boa autoestima e sentir-se importante. Ah! O amor…

A Escola de Pais do Brasil há muitos, anos aborda em um dos Círculos de Debates o tema: Amor e Segurança – Necessidades Básicas do Ser Humano.

Outro livro conhecido e de fácil leitura que pode ajudar é: As cinco linguagens do amor de Gary Chapman. Nesse livro o autor traz …: palavras e afirmação (“Você é incrível” e “Eu tenho sorte de ter você”); qualidade de tempo (conversas de qualidade – olho no olho, programas juntos…); presentes (sentir que foi lembrado, não importa o valor); gestos de serviço (divisão de tarefas ou fazer alguma coisa para); toque físico (beijos, abraços, mãos dadas para caminhar, assistir TV…).

Boas leituras levam a boas reflexões, ajudam cada um e cada casal a fazer ajustes na condução do relacionamento.

Para um relacionamento dar certo, a construção da intimidade é outro fator preponderante. E a qualidade desta intimidade é construída aos poucos, ao longo do tempo. Mas, é preciso cuidado para não ferir e gerar o distanciamento emocional, o que com certeza afeta a intimidade. Dependendo da situação, uma palavra mal colocada, um gesto desnecessário e/ou inadequado pode gerar desgaste muito grande e consertar será muito trabalhoso. Palavras jogadas ao vento… não tem como resgatá-las.

Osvaldo Cipriano em seu livro Casamento Saudável diz: “O dormir e acordar juntos, com consciência de continuidade, vai determinar a qualidade da intimidade futura”.

Neste momento em que vivemos, de isolamento social, a intimidade foi colocada à prova. Alguns caminharam para o divórcio, outros se fortaleceram e outros… ainda estão se ajustando a esta situação inusitada, em especial o relacionamento a dois quando precisam atender as demandas dos filhos, pais idosos…

Outro cuidado para um relacionamento saudável é a vivência plena da sexualidade e o sexo estar sendo prazeroso para os dois – mão dupla. A clareza poupa frustações e cuida dos laços afetivos que tão bem fazem ao corpo e à mente. Conhecer as diferenças e o que agrada/desagrada, conhecer o ritmo, os pontos de maior estímulo e as fantasias tem grande importância. Uma das grandes diferenças entre a mulher e o homem é o tempo de “esquenta” da “chama” para alcançar sua plenitude. A da mulher começa com o bom dia e segue durante o dia, ela precisa estar bem consigo mesma e com o parceiro.

Claro, que tem as exceções. Situações que podem interferir no relacionamento sexual: luto, períodos de grande estresse e doenças na família e/ou outras interferências externas. Considerando que cada um é cada um, cada casal com sua história, pode acontecer também “os acordos”, caso o sexo não seja importante para os dois.

Complementando, “Não devemos ter vergonha do que Deus não teve vergonha de criar”.

No atual contexto de distanciamento social, outras maneiras de se relacionar no mundo virtual ficaram mais evidentes, tais como: relacionamento à distância, site de relacionamentos, relacionamento virtual – sexting, usado mais pelos jovens, que é o sexo por mensagens de texto erótico. Atualmente a palavra tem um significado mais abrangente, foi acrescentado o envio de fotos, vídeos e mensagens de áudio. Aqui mora o grande perigo da intimidade cair na rede.

Neste período de isolamento, pesquisas comprovam o aumento percentual de acessos diários aos sites de relacionamento. O curioso foi o crescimento de 23% no acesso por pessoas com mais de 60 anos.

Uma das constatações das relações mediadas pela tecnologia digital (online) é a facilidade de conectar-se e desconectar-se. Os contatos para serem estabelecidos e rompidos exigem menos esforço e tempo também. Neste contexto virtual, os relacionamentos conseguem ser duradouros? Considerando que o ser humano é um ser social, que as relações afetivas acontecem em todas as fases da vida em menor ou maior grau, só o tempo dirá como ficará o relacionamento entre pessoas no mundo virtual.

O relacionamento pode ser afetado pela forma como usamos a tecnologia à nossa disposição. Tecnologia aliada à pressa então… resulta em economia de saliva. Cuidar para que as mensagens ou e-mails não substituam a saliva. No caso de separação pela distância, se possível fazer uso do telefone – é mais pessoal. Se não for possível e usar aparelhos eletrônicos, terminar dizendo que estará pensando na pessoa e que está com saudades – assim fica mais pessoal.

É fato, relacionamento saudável, amoroso, feliz… requer esforço. Se você ama alguém e quer fazer funcionar, nada deve impedi-lo de trabalhar para fortalecer a relação.

Considerações sobre trocas afetivas

As trocas afetivas contribuem para os relacionamentos serem mais satisfatórios. O afeto contribui para aproximar as pessoas, aliviar o estresse e dor, superar momentos difíceis. Alguns preferem o afeto com toque e outros preferem o afeto por palavras – eu me importo com você, eu te amo. Mais uma razão para conhecer as diferenças… O afeto é um bom ingrediente para um bolo.

Vou compartilhar com vocês uma pesquisa feita com amigos e conhecidos. Contribuiu para dar mais credibilidade e sustentabilidade à minha abordagem e sugestões.

A pesquisa abrangeu pessoas com idade para serem meus pais, mesma faixa etária, com idade para serem meus filhos, casados, separados, jovens apenas com experiência de namoro, que não estão namorando, homoafetivos …. Ocorreram 49 retornos respondendo à pergunta: Trocas afetivas, como manifestá-las em nosso relacionamento?

Acredito que podemos aproveitar muitos ingredientes. Os ingredientes mais citados foram:

Diálogo. Processo permanente de aprendizagem, saber como abordar e qual o momento certo. Conversar/comunicar-se de maneira tranquila, sincera, respeitosa no uso das palavras, faz parte desta aprendizagem. Afinal, duas pessoas podem ter opiniões e interpretações diferentes. O compartilhamento cem por cento um do outro enriquece e faz parte do relacionamento saudável e inteligente.

Respeito à vontade, tempo, individualidade do outro e aceitação das diferenças – defeitos, qualidades.

Carinho. As pessoas precisam se sentir amadas e o toque faz parte.

Amor é a base de tudo, está associado a experiências emocionais: energia aumentada, felicidade, euforia acompanhada de batimentos cardíacos elevados, em especial na fase inicial do relacionamento. A inovação e criatividade reaproxima e alimenta a chama do amor. Cuida-se da casa, do carro, dos bichinhos de estimação, dos vínculos com as pessoas – amizades, da própria saúde, assim também é preciso cuidar do amor. Se não cuidar, o que acontece após alguns anos de relacionamento? Como fica o romantismo, os gestos que expressam este sentimento? E se a rotina surgir e tomar conta? Nós mudamos, as necessidades vão mudando, surgem as reclamações, insatisfações, cobranças. O homem quer aquela mulher cheirosa, atenciosa, que o admirava e que nem enxergava seus defeitos. A mulher quer que aquele homem tão romântico, gentil, bem barbeado, cheiroso, parceiro em todos os momentos, também participe na educação dos filhos e afazeres domésticos. É preciso entrar em ação a maturidade de ambos para superar as crises, usando este ingrediente indispensável que é o AMOR.

Paciência é uma grande demonstração de respeito e de amor.

Troca de elogios.  O elogio feito com sinceridade eleva a autoestima e o sentimento de importância.

Empatia. Colocar-se no lugar do outro.

Admiração mútua será sempre muito bem-vinda.

Doação de tempo é um afrodisíaco.

Solidariedade estar em todos os momentos, se alegrar com as conquistas do outro.

Equilíbrio entre dar e receber.

Confiança. Acreditar um no outro.

Amizade e companheirismo sem segredos.

Compartilhamento resulta em reciprocidade saudável.

Autocrítica. Reavaliar as ações e reconhecer os equívocos.

Entendimento/Tolerância. Atuar como emissores e receptores. Cuidar quando a comunicação está carregada de emoções. Os seres humanos tem a tendência a julgar e desaprovar as afirmações de outras pessoas com ideias diferentes. O interessante é que no namoro e noivado, as diferenças atraem e no casamento… afastam.

Perdão é muito necessário para os recomeços.

Espiritualidade – É mais abrangente que religião. É viver por meio de ações aquilo em que acredita. É a melhor herança que pode ser deixar para os filhos, netos e para os que estão na convivência diária.

Amigos – Os amigos são indispensáveis na vida a dois. É normal ter amigos em comum, mas nada impede manter os amigos antigos. Ter alguém para conversar sobre as crises afetivas e anseios é saudável. Ter um ombro amigo para amparar nos momentos de perda não tem preço.

Humor – Uma dose de senso de humor e ainda mais com sorriso e olhar amoroso é fundamental.  É importantíssimo ser capaz de rir de si mesmo, das próprias fraquezas, da falta de jeito diante dos imprevistos, rir junto com o companheiro. “É preciso achar graça das próprias loucuras e das loucuras dos outros.” Fazemos isso com os amigos, no trabalho e por que não em casa.

Conhecer a linguagem do amor um do outro.

Na pesquisa, alguns enriqueceram com algumas sugestões práticas para fortalecer a relação amorosa, preferencialmente fazer todos os dias:

Ser grato pelas coisas mais simples, pelo esforço de cada um.

Reconhecer o que o outro faz por você. Tais como: trazer da rua uma comida, fazer uma batida de manhã para os dois, descascar quando o outro vai cozinhar ou fazer juntos, oferecer uma rosa para a esposa semanalmente ou em datas aleatórias, de vez em quando escrever com batom no espelho – sem ser data especial … Dizer “te amo” e mais coisas.  Assistir filmes de terror com ela e por ela, mesmo não gostando.

Verbalizar o amor com trocas de abraços e beijos na despedida e na chegada. Esta atitude demonstra importância e valorização do outro. Complementar com: vou sentir saudades…

Incluir Brincadeiras espontâneas entre o casal, como: cafuné no pescoço, fungadinha no cangote, passadinha de mão com apertãozinho carinhoso, musiquinha para acordar a princesa.

Surpreender com um jantarzinho a luz de velas com um tilintar de duas taças com um bom vinho e Elogiar: “que delícia de comida”! Você está linda(o). Surpreender levando água/suco/petisco durante as incansáveis reuniões.

Fazer atividades juntos: cuidar do jardim/horta, passeio de bike, caminhada, exercícios físicos/ yoga…/ férias. Ficar juntinhos no sofá, sair para jantar… faz maravilhas pelo relacionamento.

Recados amorosos. Enviar uma frase de amor ao longo do dia e se preocupar como a pessoa está se sentindo.

Fazer uma massagem para relaxar o estresse cervical. Esfregar o pé no pé/perna dele antes de dormir.

Relembrar bons momentos.

Rir juntos – humor. Casais felizes brincam juntos, esta atitude fortalece o casamento e aumenta a atração. Humor.

Fazer Combinados. Criar normas para decisões do casal nas finanças, educação dos filhos, divisão de tarefas… Assim, os conflitos serão resolvidos de maneira prática e mais rápido, com a consulta no pré-estabelecido.

Cuidados pessoais cultiva o romantismo. Cuidar com a elegância, não há amor que resista a fala de modos, higiene pessoal e vocabulário.

Receber e tratar bem a família do outro.

Dar férias para os filhos e netos. Lembrar-se de quem veio primeiro e ficará por último – o casal. Os filhos e netos vem e vão. Vale a pena investir na relação a dois.

Avaliando o resultado da pesquisa, dois destaques:

  1. O relacionamento a dois continua “na moda”, que é importante e vale a pena ser conservado por meio das trocas afetivas.
  2. A família, seja de que formato for, continua sendo um objetivo a ser conquistado.

Foi emocionante ler as colocações de amigos tão queridos, de casais tão jovens e acreditando que um relacionamento pode dar certo e fortalecido com gestos concretos/trocas afetivas. Casais com mais de 50 anos de convivência abordando de maneira sábia, a importância do respeito, do afeto, da conversa e do ouvir bem.

Tantos ingredientes à nossa disposição, agora é selecionar o que interessa e usar para fazer um bolo diferente e mais saboroso. Bolo este, indicado para manutenção e equilíbrio emocional dos relacionamentos. Seu nome é Bolo da Sedução.

 

Considerações finais

Com certeza, os comportamentos mudaram e a forma como as pessoas se relacionam são diferentes. A cada dia somos desafiados a aprender e/ou reaprender novas formas de convivência, a usar novos ingredientes para nossas trocas afetivas.

Com certeza, é possível construir um futuro compartilhado e feliz com aquela pessoa que consideramos tão especial.

Com certeza, trabalhar juntos com criatividade e usando os ingredientes certos, mal-entendidos serão evitados, laços emocionais saudáveis fortalecidos e qualidade de vida garantida.

Que sejamos iluminados e saibamos construir e vivenciar um relacionamento duradouro, saudável e feliz.

Que nosso relacionamento seja de inspiração para nossos filhos, netos e pessoas com as quais convivemos.

Concluo com o seguinte pensamento: “A riqueza de um relacionamento está na oportunidade de contribuir para que o outro se torne a melhor versão de si mesmo”.

Sucesso e felicidade a todos!

Artigo baseado conteúdo da live do dia 08 de junho de 2020, com o mesmo título.

 

REFERÊNCIAS

MATARAZZO, Maria Helena. Amar é Preciso: Os Caminhos para uma Vida a Dois. São Paulo: Editora Gente, 1992.

GRAY, John. Homens são de Marte, mulheres são de Vênus. Rio de Janeiro: Rocco, 1992.

______. Marte e Vênus Apaixonados. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

______. Marte e Vênus no Quarto. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

PEASE, Allan; PEASE, Barbara. Por que os Homens Fazem Sexo e as Mulheres fazem Amor. Sextante, 2000.

______. Como Viver a Dois – Dicas… Rio de Janeiro: Sextante, 2011.

TIBA, Içami. Homem Cobra Mulher Polvo. São Paulo: Editora Gente, 2004.

KINGMA, Daphne Rose. Para viver um Amor de Verdade. Rio de Janeiro: Sextante, 2008.

CHAPMAN, Gary. As Quatro Estações do Casamento. São Paulo: Mundo Cristão, 2008.

______. As 5 linguagens do Amor. São Paulo: Mundo Cristão, 2013.

BAUMAN, Zigmunt. Amor Líquido – sobre as fragilidades dos laços humanos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora Ltda, 2009.

CIPRIANO, Osvaldo. Casamento Saudável.  São Paulo: Ágape, 2013.

JACOBSON, Bonnie; PAUL, Alexia. Cuide do seu Casamento 5 Minutos por Dia. São Paulo: Editora Gente, 2013.

CURY, Augusto. As Regras de Ouro dos Casais Saudáveis.  São Paulo: Planeta 2014

CHENVAK, Paul LPC tutorial em parceria.  Como ser mais afetivo. Disponível em https://pt.wikihow.com/Ser-Mais-Afetivo. Acesso em 18 mai. 2020.

BORRESEN, Kelsey. O que fazer se você não sente mais atração por seu parceiro de 28/09/2019 (publicado originalmente no HuffPost US e traduzido do inglês). Disponível em https://www.huffpostbrasil.com/entry/relacionamento-longo… Acesso em 15 mai. 2020.

______. Por que as críticas podem se tornar um hábito tóxico em seu relacionamento de 17/09/2019 (publicado originalmente no HuffPost US e traduzido do inglês). Disponível em http://www.semanaon.com.br/conteudo/12961/por-que-as-criticas-podem-se-tornar-um-habito-toxico-em-seu-relacionamento. Acesso em 15 mai. 2020.

COUTINHO, Wendell. Pontos importantes para construir um relacionamento conjugal saudável de 12 set 2018. Disponível em https://blog.psicologiaviva.com.br/ relacionamento-conjugal/. Acesso em 15 mai. 2020.

BROTTO, Thaiana Filla.  Relacionamento conjugal. Disponível em https://www.psicologo.com.br/psicologos/thaianabrotto/. Acesso 20 mai. 2020.

COSTA, Crístofer Batista da Costa; MOSSMANN Clarisse Pereira. Relacionamentos conjugais na atualidade: percepções de indivíduos em casamentos de longa duração na Revista da Spagesp 2015. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-29702015000200003. Acesso em 20 mai. 2020.

GABRIEL, Gustavo Sartori Sales; DALLEDONE, Maria Rita Alves; GOEDERT, Natália; PESCAROLO, Joyse Kelly. Relacionamentos amorosos na contemporaneidade: entre transformações e dificuldades na manutenção dos vínculos. Programa de Apoio à Iniciação Científica – PAIC 2018-2019 – FAE Centro Universitário. Disponível em cadernopaic.fae.edu. Acesso em 02 jun. 2020.

SARTORI, Angela Maria; BARBOSA, Claudia Waltrick Machado. Relacionamento amoroso na atualidade. Centro Universitário Unifacvest. Disponível em docplayer.com.br. Acesso em 02 jun. 2020.

KAWAHALA, André Luis; KAWHALA, Rita Masarico. Estamos tão distantes. Revista Família Cristã, São Paulo set. 2019.  Família Ser um pág 40/41.

______. Insuportável, mas… Revista Família Cristã, São Paulo mai. 2020. Família Ser um Pág 40/41.

CLAUDIA Revista de 05/2020 pág 48-53. Só entende quem webnamora.

VANNI, Graziela; ALMEIDA, Thiago – Cap 1 O que é autoamor? Disponível em www.passeidireto.com. Acesso em 02 jun. 2020.

COZER, Carolina. Aplicativos de relacionamento registram crescimento durante pandemia de 01 abr de 2020. Disponível em www.consumidormoderno.com.br.  Acesso em 04 jun. 2020.

Significados. Disponível em www.significados.com.br.  Acesso em 18 mai.2020.

CURY, Augusto. Como construir um relacionamento saudável, inteligente e duradouro. Disponível em http://www.google.com.br/amp/s/amenteemaravilhosa.com.br/3-sinais-que-indicam-distancia- afetiva-no-casal/amp/. Acesso em: 19 mai. 2020.

EQUIPE SEMPRE FAMÍLIA – Gazeta do Povo de 04/03/2020. Casamento e compromisso. Disponível em https://www.semprefamilia.com.br/casamento-e-compromisso/o-que-a-ciencia-ja-descobriu-sobre-relacionamentos-felizes-e-saudaveis/. Acesso em 18 mai. 2020.

Autora: Marlene de Fátima Merege Pereira – marlenefmpereira@gmail.com

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*