Depressão, ela também acontece com adolescentes!

A depressão é doença causada por alterações químicas no cérebro, com crises de choro constantes, irritabilidade, insônia e dificuldade de concentração, que podem durar por muito tempo.

Quase todas as pessoas, sejam elas jovens ou idosas, experimentam sentimentos temporários de tristeza ou melancolia em algum momento de suas vidas. Esses sentimentos tendem a desaparecer sem tratamento. Por outro lado, uma pessoa que sofre de depressão raramente irá conseguir superar o problema espontaneamente.

Embora seja um problema pouco conhecido entre os jovens, pode facilmente atingi-los. Os adolescentes estão, frequentemente, enfrentando várias situações novas e pressões sociais quando se aproximam da idade adulta, e para alguns, esse período de transição costuma ser turbulento, com variações de humor e crises emocionais. Embora muitos pensem que essas mudanças de comportamento são uma fase normal da idade, há evidências de que períodos depressivos não fazem parte, necessariamente, do processo normal de amadurecimento. Na verdade, para alguns adolescentes, sintomas como descontentamento, confusão, solidão, incompreensão e atitudes de rebeldia podem indicar depressão.

Independente da idade, a depressão é um distúrbio que deve ser encarado seriamente. Ela pode interferir de maneira significativa na vida diária, nas relações sociais e no bem-estar geral. Nos casos mais graves, a depressão pode levar ao suicídio.

A depressão faz parte do repertorio humano, mas esta desvalorização da vida, a banalização da violência, do uso de armas e das drogas, oferecem recursos para que o jovem tente se matar ao encontrar as dificuldades.

Aqueles que já sofreram um episódio de depressão poderão ter, em média, cinco episódios depressivos ao longo de suas vidas, embora essa probabilidade varie muito de pessoa para pessoa. Muitos apresentam a primeira crise durante a adolescência, embora nem sempre seja reconhecida. Segundo pesquisas, a depressão tende a se manifestar pela primeira vez em pessoas entre 15 e 19 anos de idade, sendo que, nas últimas décadas, observou-se um aumento muito grande do número de casos de depressão com início na adolescência.

Não se sabe exatamente os motivos que levam os jovens a se sentirem profundamente tristes e deprimidos, porém, sabe-se que o mundo em que vivemos está se tornando cada vez mais complexo, e muitos adolescentes sentem-se despreparados para lidar com as novas situações e os problemas decorrentes desta realidade.

Uma tristeza não resolvida, seja pela morte de um ente querido, perda de um amigo, ou rompimento de uma relação amorosa, além de problemas emocionais e familiares, também contribuem para o aparecimento do quadro depressivo.

Assim como ocorre com outras doenças, algumas pessoas apresentam predisposição maior que outras para desenvolver problemas de saúde. A depressão tem várias causas e quase sempre resulta de uma combinação de fatores. No entanto, muitos jovens passam por acontecimentos desagradáveis sem desenvolver depressão.

Reconhecendo os sinais da depressão

Os sinais de depressão em adolescentes geralmente são semelhantes aos dos adultos, embora alguns ocorram com maior frequência em pessoas mais jovens. A seguir, alguns sinais que, combinados, são indicativos de depressão:

  • Tristeza, melancolia, preocupação.
  • Inquietação ou irritabilidade.
  • Falta de entusiasmo, energia ou motivação para atividades prazerosas.
  • Afastamento ou isolamento de atividades sociais.
  • Sensação de fadiga ou sono excessivo.
  • Baixa autoestima e pensamentos negativos com relação ao presente e ao futuro.
  • Ansiedade, fobias ou medos.
  • Confusão ou dificuldade em tomar decisões.
  • Baixo rendimento escolar.
  • Problemas alimentares ou insônia.
  • Perfeccionismo.

Em casos de quadros depressivos graves, sentimentos de inutilidade e desesperança podem ocorrer. Os sinais de depressão citados anteriormente costumam ser ignorados em pessoas jovens, sendo somente notados quando o uso de drogas e bebidas alcoólicas está associado à doença, contribuindo para seu agravamento. Neste caso, a depressão é acompanhada de comportamento antissocial, distúrbios de conduta e comportamentos hostis e agressivos.

A maioria do jovens com diagnóstico de depressão é reconhecida como portadora de distúrbio “maníaco-depressivo”, ou bipolar, ou seja, apresenta grandes flutuações de humor, parecendo triste em um determinado período do dia (depressão) e alegre e animada (mania) no dia seguinte.

A depressão também pode ser “mascarada” por problemas físicos ou outras queixas, incluindo alterações de apetite ou distúrbios de alimentação (anorexia e/ou bulimia nervosa), cansaço extremo, sono embora tenha dormido por várias horas, dores de cabeça e distúrbios gastrointestinais.

Se você suspeitar que um adolescente está sofrendo de depressão, saiba que poderá ajudá-lo. Os adolescentes podem ter dificuldade em falar sobre seus sentimentos, ou podem achar que os adultos não o entenderão. O papel de pais, professores e familiares é imprescindível nesses momentos, sendo necessária uma boa dose de paciência, carinho e compreensão. Em casos mais graves, em que uma conversa franca não resolve, é indispensável a ajuda de um profissional experiente para aconselhamento, além de outros procedimentos, se necessário.

Este artigo foi publicado na Revista Programa – junho  de 2011, p. 37, do 48º Congresso Nacional da Escola de Pais do Brasil, realizado de 23 a 25 de junho de 2011, em São Paulo – SP. 

Solange Dantas Ferrari – Psicóloga

http://www.clinicaexito.com/

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*