CONSIDERAÇÕES SOBRE A PESQUISA

A maioria dos pais continua enfrentando dificuldades na educação dos filhos. As principais são:

– Estabelecer limites

– Controlar o uso de aparelhos eletrônicos

– Falar e orientar sobre sexualidade e amizades

– Lidar com traumas sofridos pelas crianças

 

As razões para essas dificuldades são atribuídas, pelos pais, à influência da:

– Mídia (TV, internet, redes sociais, jogos eletrônicos…)

– Falta de tempo

– Amigos e parentes

– Falta de conhecimento

 

Os pais buscam ajuda quando sentem dificuldades. As fontes mais consultadas são:

– Familiares

– Profissionais da área (psicólogas, pedagogas, …)

– Escola e professores

– Sites de busca da internet

– Livros e revistas

REFLEXÕES A PARTIR DOS RESULTADOS DA PESQUISA

Educar os filhos para serem bem-sucedidos é a maior dádiva que os pais receberam como missão em suas vidas!

Por isso deve ser prioridade: É mais importante que qualquer outro projeto, seja ganhar dinheiro, cultivar amigos, comprar bens, estudar e outros. Afinal, O QUE PODE SER MAIS VALIOSO QUE UM(A) FILHO(A)?

Não quer dizer que outros objetivos de vida não sejam importantes e não mereçam atenção, mas a prioridade deve ser a educação dos filhos. Uma vez que isso esteja claro na mente dos pais, boa parte das dificuldades apontadas na pesquisa se resolverão por si mesmos.

Por quê?

– Educar exige tempo e dedicação. Quando educar estiver em primeiro lugar, os pais encontrarão meios para estarem presentes na vida dos filhos. Encontrarão tempo para ficarem com os filhos; brincarem com eles; conversar com eles; ouvir suas histórias, entender seus medos, comemorar com eles suas vitórias, progressos e conquistas; terão paciência para entender e superarem juntos suas dificuldades, inclusive as relacionadas ao controle das emoções e seus aprendizados.

– O tempo é veloz! Os filhos crescerão depressa. Rapidamente terá passado um mês, 6 meses, 1 ano, 2 anos, 5 anos, 10 anos, 15 anos, 18 anos… e esse tempo será passado, terá voado. Sobrarão as lembranças. Muitas lembranças! Boas! Sem arrependimentos!  Se o período de crescimento dos filhos tiver sido com eles compartilhado, se a sua educação tiver sido prioridade. O objetivo de educar bem os filhos terá sido alcançado! O tempo terá sido bem aproveitado, não desperdiçado com coisas que, no futuro, reconhecer-se-á não teriam valido a pena.

O que fazer para que isso se torne realidade?

Conheça-se a si mesmo! Para entender-se plenamente e poder gerenciar todas as exigências que se apresentam no dia-a-dia; para sentir-se bem nas escolhas que fizer ao longo da vida, mesmo quando as coisas não estão tão bem e quando a sensação de não dar conta, tomar conta… Nenhum pai e nenhuma mãe é SUPER em tudo, nem precisa ser. Ser o suficientemente bom/boa é uma grande vitória! Ninguém pode SER O MELHOR em tudo nem TER tudo ao mesmo tempo. É preciso decidir e priorizar! Entender que no processo de decisão, de escolha, de priorização, sempre haverá ganhos e que é necessário abrir mão de algumas coisas… para alcançar aquilo que é mais importante!

Prepare-se! para ser um bom pai, uma boa mãe. Estude o desenvolvimento e a pedagogia para poder exercer com maestria a grande e nobre missão de ser pai, de ser mãe. Tenha em mente que sempre há algo para aprender para que se possa fazer melhor, para que eu seja melhor. Mesmo aquilo que já se faz muito bem! Estudar e aprender constantemente nos mantém vivos! A Escola de Pais do Brasil oferece várias oportunidades de aprendizado. De forma gratuita, por ser uma organização social voluntária.

Nunca é tarde para aprender. Mesmo que os filhos já tenham crescido, o pai e a mãe continuarão sendo importantes na vida deles. E recorrerão a eles, como demonstra a pesquisa, nos momentos de dificuldade. Prepare-se para ser o suporte confiável por toda a vida, afinal, um pai nunca deixa de ser pai e uma mãe nunca deixa de ser mãe, mesmo quando os filhos se aventurarem pelo mundo…

Crie e mantenha um ambiente familiar favorável para o desenvolvimento integral das pessoas. Um ambiente acolhedor, de amor, de carinho, de amizade, de respeito, de escuta, de entendimento, de equilíbrio, de entreajuda, de apoio, de valorização de si e de todos ao seu redor (companheiro(a), filhos, pais, amigos, vizinhos, …). A harmonia no lar favorece sobremaneira a construção de valores positivos baseados em princípios éticos e morais. Quantas vezes ocorrem discussões e brigas em família que, depois de algum tempo, percebe-se que não valeram a pena? Não levaram a nada? Que poderiam ter sido evitadas com uma boa conversa, entendendo o ponto de vista do outro, usando o bom-senso? Gerenciando melhor as próprias emoções? Sabe-se hoje, que o desenvolvimento cerebral é tão influenciado tanto pelo ambiente quanto pela genética. As EXPERIÊNCIAS e INTERAÇÕES da criança pequena ficam marcadas no cérebro e AFETAM a constituição dos circuitos e da arquitetura do CÉREBRO.

Forme vínculos afetivos duradouros com os filhos. Esses vínculos os protegerão das adversidades, dos medos, e lhes trarão de volta à segurança, pavimentando sua autoestima, encorajando-os a irem em frente, sem temor, galgando degrau a degrau os percalços que a vida certamente lhes apresentará.

Dê atenção especial aos primeiros anos de vida. É nesse período da vida que a criança forma as bases para enfrentar os desafios futuros, vida afora. Os primeiros anos são como construir a estrutura de uma casa. É a estrutura sobre a qual todo o resto se desenvolverá.

Os bebês aprendem ainda no útero e eles são as melhores “máquinas” de aprender do universo. O cérebro de um bebê faz de 700 a 1000 novas conexões cerebrais por segundo, de acordo com Charles A. Nelson III – Pediatra e Neurocientista da Harvard Medical School e do Boston Children”s Hospital. Estima-se que até aos 3 anos a criança tenha atingido a metade de seu potencial intelectual que irá desenvolver durante toda a sua vida e seu cérebro é duas vezes mais ativo que o de um adulto. Daí a importância de oferecer-lhe a oportunidade de explorar e fazer experiências com o mundo que a rodeia. É um período, porém, em que a criança precisa de estímulos e disponibilidade dos adultos que devem zelar pela sua segurança.

Tenha paciência e alimente a persistência dos filhos. Os filhos, em sua trajetória para a autonomia, forçosamente testarão os limites, insistirão e tentarão fazer prevalecer suas vontades e caprichos, nem sempre os mais adequados, mas faz parte do processo de aprendizado. Incentivar os filhos a persistir quando não conseguem resolver na primeira tentativa alguma dificuldade, oferecendo apoio, mas não a solução (a não ser que haja riscos ou dificuldade acima da capacidade da criança), lhes ensinará que há que ter esforço para vencer os desafios e atingir as metas que a vida lhes oferecer.

Não permita que os outros eduquem seus filhos. Sim, é verdade que vida afora as crianças estão expostas a inúmeras influências, como demonstra a pesquisa – amigos, escola, TV, internet, redes sociais e outros já mencionadas. Os pais, porém, além de serem os principais responsáveis pela educação dos filhos, são também os grandes beneficiados pois colherão os frutos de sua dedicação e de seu empenho pelo resto da sua vida. É uma recompensa que não tem preço! E vale cada minuto a ele dedicado. Por isso, acompanhe seus filhos, ensine e seja o exemplo. Transmita desde cedo os valores que você, como pai/mãe considera fundamentais para orientar as decisões e atitudes dos filhos vida afora.

– Seja presente na Escola de seu filho. Conheça os professores, os funcionários e o ambiente escolar onde seu filho estuda. Mais que isso, converse com os professores, não para cobrá-los (também, se for necessário), mas para saber deles como seu filho está se esforçando, como está se relacionando com os colegas, se não está sofrendo ou fazendo bullying. Seja parceiro da escola e verifique como pode ajudar para que seu filho tenha um desempenho melhor e como pode auxiliar os professores e a própria escola. Se cada pai/mãe fizer um mínimo pela escola, pelo ensino e pela educação formal, teremos, com certeza uma sociedade melhor.

– Mais que brinquedos, os filhos querem a presença, a companhia, o carinho, o amor, o abraço do pai e da mãe. Não há celular, internet, TV, rede social, mídia, que resista ao afeto e à companhia carinhosa do pai e da mãe.

Você, PAI/MÃE tem o poder de colocar seu filho em uma trajetória vitoriosa por toda a vida dele.

VOCÊ, PAI E MÃE, É O QUE SEU FILHO TEM DE MAIS IMPORTANTE NA VIDA!

ENCANTE-O!

Publicado na Revista Escola de Pais Seccional da Grande Florianópolis – dezembro de 2019, pg. 40

José Alberto Wobeto – Associado da EPB Grande Florianópolis e Representante da Diretoria Executiva Nacional da Escola de Pais do Brasil em SC.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*